Influenciada pela Covid-19, taxa de natalidade atinge menor nível dos últimos 17 anos em SP

Em meio à pandemia, casais optaram por não ter filhos; em janeiro de 2021, houve queda de 21,53% no número de nascimentos registrados em cartório

A pandemia de Covid-19 afetou a taxa de natalidade na cidade de São Paulo, levando a uma queda de 21,53% no número de nascimentos registrados em janeiro de 2021, primeiro mês após a gestação desde que a doença chegou ao Brasil. Os dados foram obtidos por um levantamento da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP), que reuniu informações dos 58 Cartórios de Registro Civil que existem e constatou que, por conta da pandemia, os casais optaram por não ter filhos, levando a taxa ao seu menor nível desde 2004. Segundo as informações coletadas, foram realizados 12.476 nascimentos em janeiro de 2021 contra 15.899 registrados no mesmo mês de 2020.

Já no estado de São Paulo, a quantidade de nascimentos também registrou queda. Em janeiro deste ano foram realizados 45.222 nascimentos, 15,7% menos dos que em janeiro do ano passado, quando foram registrados 53.690. Apesar das baixas, o número de registros em janeiro 2021 pode aumentar, uma vez que os prazos de registros de recém nascidos variam em até 15 dias após o nascimento e o Portal da Transparência, onde as informações ficam expostas. Além disso, diversos estados expandiram o prazo para a comunicação de novos registros de nascimento por conta da pandemia de Covid-19.

Deixe um comentario