Projeto de Joe Biden propõe conceder cidadania a 11 milhões de imigrantes

Projeto apresento pelos democratas ao Congresso dos Estados Unidos prevê mudanças na lei de imigração do país e expansão no número de vistos de trabalho

Os democratas apresentaram formalmente ao Congresso norte-americano um projeto de lei proposto pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para a imigração. O texto propõe conceder um caminho para a cidadania a 11 milhões de pessoas, mas deve enfrentar grande resistência dos republicanos, especialmente no Senado. O programa é visto como estratégico e é encampado pelo líder da nação que pretende construir um sistema de imigração mais humano após anos de endurecimento promovido por Donald Trump com medidas polêmicas para barrar a entrada de imigrantes nas fronteiras.

A principal proposta é abrir espaço para que pessoas que vivem sem documentos no país possam obter a cidadania americana. Depois de passar por verificações de antecedentes e pagar impostos, elas seriam autorizadas, inicialmente, a viver e trabalhar no território por cinco anos. Concluída esta etapa, poderiam obter o chamado “green card”, o visto de residência permanente. Após mais três anos, a cidadania seria concedida. O texto também propõe outras mudanças mais abrangentes na lei de imigração, facilitando, por exemplo, que integrantes de famílias que já estejam nos Estados Unidos também possam se mudar para o país. Outra ação prevê uma expansão no número de vistos de trabalho, a fim de permitir que mais estrangeiros possam buscar empregos.

Segundo a cúpula democrata, 90 milhões de americanos votaram pelo bom senso, contra Donald Trump e o que ele defendia. Com isto, eles querem restaurar a compaixão e a competência do governo e, parte desse mandato, consiste em consertar o sistema de imigração. Os democratas reconhecem, no entanto, que será difícil conseguir o apoio de 10 senadores republicanos para a aprovação grande parte das medidas propostas por Biden. Se aprovado, o projeto pode ser a maior lei de cidadania a passar pelo Congresso desde 1986, quando o então presidente republicano Ronald Reagan legalizou a situação de quase 3 milhões de imigrantes sem documentos no país.

*Com informações do repórter Daniel Lian 

Deixe um comentario