Após mais de 30 mil votos, 1º Prêmio Mulheres Positivas anuncia vencedora; veja quem ganhou

As três finalistas foram entrevistadas pela apresentadora Fabi Saad, e uma delas ganhou R$ 10 mil durante o programa desta segunda-feira, 29

Nesta segunda-feira, 29, o programa “Mulheres Positivas“, da Jovem Pan, apresentado por Fabi Saad, exibiu a história das três finalistas do 1º Prêmio Mulheres Positivas, criado para reverenciar a jornada de uma mulher inspiradora, que luta pela igualdade, com a bonificação R$ 10 mil (valor oferecido pela Monange, empresa do grupo Coty, patrocinadora do projeto). Após mais de 30 mil votos, Renata Lima, Bianca Rodrigues e Elaine Keller foram as escolhidas para chegar à final. Economista e advogada de formação, Elaine atua na área de direito digital e apoia a ONG Marias da Internet, projeto voltado para ajudar mulheres que têm a intimidade violada na internet. Formada em gestão comercial e pós-graduada em gestão cultural, Renata idealizou e se dedica ao Projeto Casa Aberta, que atende mais de 120 crianças com atividades como balé e musicalização para gerar impacto social no bairro de Contagem, em Minas Gerais. Graduada em engenharia civil, Bianca Rodrigues faz parte do projeto “Jogue Como Uma Garota”, que viabiliza a participação de pelo menos cem mulheres no mundo do futebol. Entre as três, ela foi escolhida pelo voto popular.

Renata acionou colegas e amigos porque pretendia usar os R$ 10 mil para conseguir os fundos necessários para reformar o telhado do projeto em que trabalha. “A gente mantém esse núcleo de pessoas, pessoas que acreditam na nossa causa, pessoa que sabem que o nosso propósito é pelo bem comum”, lembrou. O imóvel, uma casa de propriedade dela, foi cedido ao projeto e precisa de reparos em um espaço multiuso, que recebe curso de culinária, palestras e aulas de tae-kwon-do. Bianca também conseguiu votos na sua base de amigos, família e com as pessoas diretamente beneficiadas pelo Casa Aberta. Elaine buscou o prêmio para divulgar a ONG Marias da Internet. No período de pandemia, a violência doméstica contra a mulher aumentou exponencialmente. “Nem todas as mulheres sabem como agir em uma situação como essas nem sabe que existem ONGs com profissionais especializados que podem ampará-las sem nenhum custo. Então esse era um objetivo maior”, afirmou. Ela gostaria de distribuir parte da renda para pessoas em necessidade e também ajudar na reforma do projeto Casa Aberta.

Por votação popular, Bianca Rodrigues foi a vencedora do 1º Prêmio Mulheres Positivas. “Quero ser uma pessoa em que as outras pessoas se inspiram, tem pessoas que me falam isso e eu me sinto lisonjeada. Foi por essas pessoas que estou aqui agora. Estou feliz demais”, afirmou. Para conhecer mais sobre os projetos finalistas, acesse o site da ONG Marias da Internet e o Instagram do Projeto Casa Aberta (@projetocasaaberta).

Confira o programa “Mulheres Positivas” desta sexta-feira, 29, na íntegra:

Deixe um comentario