Com risco maior, pacientes renais crônicos pedem prioridade na vacinação contra Covid-19

Esse é 12º grupo na ordem, atrás ainda de idosos com mais de 60 anos; projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados pede pra acelerar a imunização desta população

Cláudia foi diagnosticada com problema nos rins há bastante tempo, mas foi só no início deste ano que ela passou a ter que fazer hemodiálise: a filtragem das substâncias tóxicas do sangue por meio de uma máquina. Três vezes por semana ela vai até a clínica e sente muito medo pela exposição. “Quando eu estava internada, eu vi pessoas que viraram pacientes renais a partir da contaminação do coronavírus. Começaram e ingressaram na hemodiálise. Enquanto eu estava internada, eu vi várias pessoas nessa situação. Você imagina para quem já é renal há algum tempo, já tem os rins debilitados e pega o vírus?”, relata Cláudia.

A Lecticia Jorge, que é médica nefrologista, alerta que geralmente o paciente renal tem histórico de hipertensão e diabetes, e que a letalidade do novo coronavírus entre esse grupo específico é maior. “Tem um artigo europeu super recente, multicêntrico, com vários centros do mundo, no qual eles conseguiram incluir 38 mil pacientes renais crônicos e a mortalidade desses pacientes quando têm Covid-19 é de 22%. Então, mais ou menos um quinto ou um quarto dos pacientes renais crônicos que tiverem Covid-19 vão evoluir com um desfecho desfavorável”, explica Lecticia.

Pelos grupos prioritários, estipulados pelo Ministério da Saúde, os pacientes renais crônicos se encaixam em pessoas com comorbidades. Esse é 12º grupo na ordem de prioridades, atrás ainda de idosos com mais de 60 anos. Para o diretor da Abrasrenal (Aliança Brasileira de Apoio a Saúde Renal), Gilson Silva, a imunização desta população precisa ter mais urgência. Ele conta que a entidade vem pleiteando isso com o governo federal. “Nós estamos tentando sensibilizar alguns municípios e Estados. Vamos ver se essa semana consegue que alguns municípios compreendam isso e incluam, porque via Ministério da Saúde está muito difícil. Eu não estou entendendo porque o ministério não abre um canal de diálogo para isso”.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, o país tem hoje cerca de 140 mil pacientes com doença renal crônica. Pensando nesta população, existe um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados e que pede pra acelerar a vacinação deste grupo. O projeto inclui também transplantados e portadores do vírus HIV. A autoria é da deputada Mara Rocha (PSDB-AC) e foi apresentado em fevereiro. Ainda não há data de votação. No Brasil, apenas a prefeitura de Salvador já iniciou a vacinação de pacientes em hemodiálise. A reportagem entrou em contato com o Ministério da Saúde pedindo um posicionamento sobre o diálogo com a Abrasrenal, mas ainda não obteve resposta.

*Com informações da repórter Carolina Abelin

Deixe um comentario