‘Maior parte do Brasil terá cobertura 5G até 2026’, revela o CEO da Tim, Pietro Labriola

Executivo participou do programa ‘Mulheres Positivas’ e também comentou como a empresa trabalha a questão de inclusão

A luta pela igualdade de gênero no mercado de trabalho precisa de todos. Por esse motivo, pela primeira vez um homem participa do programa “Mulheres Positivas”, da Jovem Pan. Na edição especial desta sexta-feira, 26, o CEO da Tim Brasil, Pietro Labriola, conversou com a apresentadora Fabi Saad sobre a atuação da empresa de telecomunicação na questão de inclusão e sobre a chegada da tecnologia 5G no Brasil. Segundo Labriola, uma das maiores preocupações da TIM é com as pessoas que trabalham na empresa e as que consomem os serviços. “Nós, como pessoas e como empresa, estamos em um ecossistema e somos um elemento importante dele. Por essa razão, a nossa empresa sempre esteve na frente no assunto de ESG (Environment Social Government, em inglês, que são regras do funcionamento das empresas e das pessoas) porque acreditamos, verdadeiramente, que temos um papel importante na melhora da situação do ambiente, no relacionamento interno com as pessoas e no máximo nível de transparência de governança”, disse.

“Dos três elementos, eu acho que a parte que nós gostamos mais é a social. As empresas de serviços são feitas de pessoas, o nosso resultado depende das pessoas e temos que cuidar delas independente do gênero, raça, cor ou religião. Essa parte é onde estamos mais focados”, completou. Para o mês de março, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, Labriola revelou que a TIM não fez uma ação pontual, mas um evento mensal. “Aqui não fizemos algo de específico. Cada mês comemoramos uma data de acordo com o calendário da ONU, mês da mulher, mês da raça e etc. Todo mês temos o programa ‘Tim Convida’ para abrir discussão e conversas sobre todos os assuntos. Celebrar um mês está errado, precisamos trabalhar constantemente o assunto. Isso não é marketing, nós temos que mudar a sociedade e a empresa e é um trabalho que precisa ser feito constantemente”, afirmou

5G em todo Brasil?

Rumando para a questão da tecnologia, o CEO da TIM disse que o 5G deve começar a ser implantado no Brasil em 2022. “No último edital da Anatel está um claro planejamento que, até julho de 2022, toda as capitais tem que ser cobertas e depois está a cobertura de cidades com até 30 mil habitantes, que vai até 2029. A maior parte do Brasil terá cobertura entre 2022 e 2026. O que vai mudar com o 5G? A pessoa terá uma experiência mais rápida, mas as vezes não vai fazer um mudança tão grande. Onde vai mudar completamente? Uma vez construída essa rede dá para ajudar as indústrias, os hospitais a fazerem cirurgias a distância e projetos similares”, contou.

Questionado sobre onde implementaria esse tipo de tecnologia no Brasil, Labriola apontou três áreas. “Eu gostaria de ajudar o Brasil na questão da segurança. Com a tecnologia a gente poderia ter reconhecimento facial, drone que vai voando acima da cidade e reconhecendo rostos e decidir se é uma pessoa perigosa ou não. Também investiria em ensino a distância, que é um ponto de fraqueza no nosso país e em terceiro, todo o assunto da telemedicina. Hoje não conseguimos ter médicos em todos os lugares do país, e com essa tecnologia poderíamos controlar isso”, completou.

No cargo de CEO desde 2019, mas na TIM há 18 anos, ele deixou um recado para quem pensa em evoluir na carreira. “Se você tem a possibilidade de ir trabalhar fora, vá. É importante porque você aprende uma cultura diferente. Agora estamos vivendo um mundo que é global e é importante conhecer outra cultura. Acho que a coisa mais importante é tentar identificar se você pode trabalhar na área que gosta. A paixão é um elemento importante, ninguém consegue trabalhar feliz com algo que não gosta. Eu sei que, às vezes, a vida não permite ter essa escolha, mas você não tem que renunciar, tem que tentar trabalhar com o que gosta. Estudar também é importante, para qualquer idade, e não significa só livros, mas curiosidade, fazendo diversas perguntas e entender. Somente errando é que você aprende a acertar”, finalizou.

Assista na íntegra a entrevista com Pietro Labriola:

Deixe um comentario