Butantan pede à Anvisa autorização para início dos testes da Butanvac

Diretor do Instituto, Dimas Covas, sinalizou que população-alvo do imunizante deve incluir maiores de 18 anos que já foram ou não acometidos pela doença

O governo do Estado de São Paulo anunciou nesta sexta-feira, 23, que o Instituto Butantan enviou uma solicitação para a Anvisa para que os testes da Butanvac, a primeira vacina 100% brasileira contra a Covid-19, sejam iniciados. De acordo com o vice-governador Rodrigo Garcia, em março foi enviado o dossiê do desenvolvimento clínico. Agora, se trata do pedido para início dos testes para aplicação em humanos. “Ela será a primeira vacina fabricada integralmente no Brasil, sem necessidade de importação de matéria-prima, como acontece com a CoronaVac e a vacina de Oxford“, explicou. O diretor do Butantan, Dimas Covas, sinalizou que esse pedido diz respeito às fases 1 e 2.

A partir da próxima semana, a fábrica da vacina da gripe no Instituto vai ser usada na produção do imunizante Butanvac. Segundo ele, a duração desses testes deve ser de cerca de 20 semanas. Na 26ª semana já é possível colher resultados para análise primária, o que pode permitir o envio do pedido de aprovação para uso emergencial para a Anvisa. Covas afirmou que, a partir da aprovação da Anvisa para os testes, serão divulgados os centros de pesquisa que vão aplicar as doses e também como os voluntários poderão se inscrever. Esse estudo clínico deve ser rápido e incluir a população adulta acima de 18 anos que já foram acometidas pela Covid-19 ou não. “Esperamos que isso ocorra no mais curto prazo de tempo possível dada a urgência e a necessidade de evoluir neste assunto.” As expectativas são de que a Butanvac faça a diferença no calendário do segundo semestre no Brasil e também em países parceiros.

Deixe um comentario