Carla Diaz é intimada em processo racial como vítima e rebate: ‘Racismo reverso não existe’

Ex-participante do ‘BBB 21’ disse ter sido surpreendida por policiais e afirmou não ter mais detalhes sobre o caso

A atriz e ex-participante do reality show ‘Big Brother Brasil 21Carla Diaz usou as redes sociais para dizer que foi intimada como vítima em um processo sobre injúria racial. Em seu Twitter, a atriz afirmou ter sido visitada por oficiais da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) e foi intimada a prestar esclarecimentos sobre o caso na condição de vítima de preconceito. Carla chamou o episódio de “absurdo”, disse não ter mais detalhes sobre o caso e rebateu o processo: “Acho importante afirmar aqui que racismo reverso não existe. Gente, por favor, vamos ler, vamos nos informar, a internet está aqui para isso. O programa debateu racismo a semana toda. Eu estou muito chateada com essa situação, ainda mais porque tudo isso começou quando eu ainda estava na casa, usaram o meu nome sem o meu conhecimento para me colocar nessa situação”, afirmou a atriz. Por fim, Carla disse que atualizaria seus fãs conforme recebesse mais informações sobre o episódio.

De acordo com a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI), o deputado estadual Anderson Moraes (PSL-RJ) protocolou uma petição relatando injúria racial da então participante Lumena contra Carla Dias. Ele pediu que a prática de “racismo reverso” por parte da psicóloga baiana fosse apurada. Na mesma época, o vereador Thammy Miranda (PL-SP) também criticou Lumena, publicando um ofício em suas redes sociais no qual defende que as falas da psicóloga direcionadas à Carla Diaz sejam investigadas.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Thammy Miranda (@thammymiranda)

Deixe um comentario