Caso Henry Borel: Após prisão, vereadores do PT pedem cassação de Dr. Jairinho

O Solidariedade confirmou a expulsão sumária do vereador no fim da tarde e disse esperar que ele responda por seus atos caso as acusações sejam comprovadas

Horas após a prisão de Dr. Jairinho (SD), a bancada do PT na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro afirmou que entrou com uma representação no Conselho de Ética da Casa pedindo a cassação do parlamentar. A informação foi confirmada pelo partido através de nota enviada à imprensa na tarde desta quinta-feira, 8. Segundo o comunicado, a bancada do partido reagiu com “perplexidade e horror” diante a investigação sobre a morte de Henry Borel e pediu que a Câmara mostre uma resposta. “As investigações, até o momento, trazem indícios que tornam urgente uma resposta firme da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Este parlamento tem a obrigação de incentivar e apoiar a investigação, além de colaborar no que for necessário”, diz a nota. Segundo a bancada, a representação foi apresentada junto ao PSOL e as legendas acreditam que uma condução “ágil e ética do inquérito, por parte do Ministério Público, é um passo fundamental” no desenrolar do caso. Assinaram a nota os vereadores Linderbergh Farias, Reimont, Tainá de Paula e o presidente do PT Rio, Tiago Santana.

Em nota, publicada no fim da tarde desta quinta, o Solidariedade confirmou a expulsão sumária de Jairinho e afirmou que o parlamentar já estava afastado e licenciado do partido antes da prisão realizada nesta manhã. A sigla afirmou que espera que, caso sejam comprovadas as acusações, o vereador responda por seus atos. “Seguimos lutando pela valorização da vida e pelo bem-estar. Proteger a vida, principalmente a de crianças e adolescentes, é essencial para construir o país que queremos. Reforçamos nosso repúdio a toda e qualquer forma de violência”, continua a nota do partido. Seu suplente, Luiz Ramos Filho, irá ocupar o cargo de Jairinho.

Deixe um comentario