Consórcio da CCR vence leilão em SP e vai administrar linhas 8 e 9 da CPTM

Grupo será responsável por investir mais de R$ 3,2 bilhões na melhoria da infraestrutura, incluindo aquisição de trens e aprimoramento das estações; concessão vale por 30 anos

O Consórcio Via Mobilidade, liderado pela CCR, venceu o leilão para concessão das linhas das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da CPTM. Com oferta de R$ 980 milhões, um ágio de 202% sobre o valor mínimo inicial de R$ 324 milhões, a concessionária superou outros três concorrentes. O governador do Estado de São Paulo, João Doria, disse que os recursos serão investidos na melhoria da qualidade de vida da população. “Recursos que serão destinados para prioritariamente os programas sociais do governo na área de saúde, de habitação popular, educação, proteção, área de segurança pública e no âmbito social. Em especial o programa do alimento solidário”, afirmou. O consórcio vencedor terá de explorar as linhas por um período de 30 anos e investir mais de R$ 3,2 bilhões na melhoria da infraestrutura, incluindo aquisição de trens e aprimoramento das estações.

O presidente da CCR, Marco Cauduro, afirmou que concessão vai ajudar na retomada econômica após a pandemia. “A gente tá muito feliz e a gente entende a nossa responsabilidade, como empresário em investir, em ser um indutor da retomada de atividade no país. O investimento em infraestrutura tem esse privilégio de gerar muitos benefícios diretos e indiretos, especialmente renda e emprego”, disse. O Secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, destacou que a concessão trará uma redução de despesas de R$ 600 milhões por ano à CPTM. Ainda segundo ele, o maior investimento da concessionária será feito na aquisição de 34 trens e na reforma de duas composições, conforme previsto no edital. “Um dos objetivos do governador é que consigamos atingir na CPTM um padrão metrô de qualidade, redução de intervalos entre os trens com a implantação de sistemas avançados que ocorrerão com os investimentos abrangidos nessa expectativa”, explicou. Para o mês de julho, estão previstos os leilões de 22 aeroportos do Estado. No segundo semestre, ainda sem data, serão ofertadas as operações de todas as travessias marítimas e de uma malha rodoviária.

*Com informações da repórter Caterina Achutti

Deixe um comentario