Felipe Titto explica por que foi detido e algemado ao tentar impedir abandono de animal

Ator contou que policiais não se importaram quando ele relatou o crime e ainda foi acusado de desacato

O ator Felipe Titto esclareceu por que acabou sendo detido pela polícia do Rio Grande do Sul ao tentar impedir um homem de abandonar um cachorro em uma estrada. Conforme relatado pelo artista em uma série de stories no Instagram, ele foi visitar uns terrenos na região na última sexta-feira, 9, com o intuito de encontrar um lugar para expandir seu negócio hoteleiro e, na volta a Canela, se deparou com a cena que o deixou indignado. “Vi um carro no acostamento que tinha acabado de abandonar um cachorro, um vira-latinha. Eu vi o cachorro correndo disparado atrás do carro. Vi essa cena e, obviamente, eu fui atrás desse carro”, contou. Quando alcançou o motorista, ele pediu para ele parar o carro e citou que viu o cachorro sendo abandonado, mas o homem fechou o vidro e seguiu viagem.

Quando finalmente conseguiu falar com o motorista, Felipe disse que abando de animal é crime e foi nesse momento que a polícia entrou em ação. “Saiu um policial de dentro da brigada mandando eu falar baixo”, relembrou o ator. Em seguida, encostou uma viatura com mais dois policiais. “Um deles chegou e disse: ‘Você está falando muito, não quero saber de cachorro, não quero saber de história. Se tiver infração de trânsito porque você seguiu o cara, você vai tomar multa’. Eu estava de máscara, ninguém sabia quem eu era. Não queria que ninguém me visse”, falou o ex-contratado da Globo, que se identificou apenas como Felipe para a polícia. Felipe também quis saber o nome do policial, mas o profissional se recusou a responder, disse que estava escrito na roupa dele e perguntou se o ator não sabia ler.

Felipe rebateu o oficial: “Eu falei: ‘Olha que loucura, eu com toda a educação do planeta te disse meu nome quando eu perguntei, agora eu estou te perguntando e você não tem a capacidade de me dizer seu nome? Como cidadão, eu tenho direito de pedir seu RG e seu nome’. Ele [o policial] continuou olhando para o lado, vi que ele estava pouco se fudend* para o cachorro. Pedi meu celular para o meu sócio, eu ia ligar para o advogado. Nisso, o policial disse que se sentiu coagido e que eu estava preso por desacato. Dei o braço para ele, falei para aproveitar que eu não ia nem reagir. Ele me algemou, arrebentou meu braço, depois ficou todo ralado, e me jogou na viatura. Fiz corpo de delito e depois fui prestar depoimento.” Segundo Felipe, os policiais ficaram fazendo “piadinhas no caminho”, dizendo, por exemplo, que não sabiam se precisariam usar o fuzil. Depois de prestar depoimento, ele foi liberado, mas disse que não vai deixar essa história passar em branco. “A minha intenção não era ferrar com ninguém”, enfatizou. “Eles deram um tiro no pé. Primeiro por ter cagado para o bicho que foi abandonado. Depois, por ter me tirado para maluco”, finalizou o ator.

Deixe um comentario