Jordânia acusa ex-príncipe herdeiro de complô para desestabilizar o país

Histórico da família real indica a existência de uma rixa entre o rei Abdullah II e o seu meio-irmão Hamzah bin Hussein, que era o favorito do pai de ambos para assumir o trono

O governo da Jordânia está acusando o ex-príncipe herdeiro Hamzah bin Hussein, que é meio-irmão do rei Abdullah II, de estar conspirando para “desestabilizar” o país. Em entrevista coletiva realizada neste domingo, 4, o vice-primeiro-ministro Ayman Safadi esclareceu que já faz algum tempo que estão sendo interceptadas comunicações entre o ex-príncipe, aliados e autoridades estrangeiras que comprovam a existência de um complô. As autoridades locais decidiram agir porque os envolvidos estavam começando a discutir o momento de colocar o seu suposto plano em ação. Pelo menos 16 pessoas foram presas, mas Hamzah foi apenas colocado em “isolamento” porque o rei prefere tratar o assunto “dentro da família”. O ex-príncipe regente negou ser “parte de qualquer conspiração ou organização nefasta ou grupo apoiado por estrangeiros” e disse que não obedecerá a ordem de parar de se comunicar com o mundo exterior e permanecer dentro de casa. “Acho que é um pouco inaceitável”, justificou. A sua mãe, a rainha-viúva Noor, o defendeu: “Orando para que a verdade e a justiça prevaleçam para todas as vítimas inocentes dessa calúnia perversa. Deus os abençoe e o mantenha-os seguros”, escreveu no seu perfil no Twitter neste domingo, 4.

A Jordânia é uma monarquia constitucional em que o rei mantém amplos poderes executivos e legislativos. Até 1999, o líder do país era o rei Hussein, que teve quatro esposas. A princípio, o favorito para sucedê-lo ao trono era Hamzah, o filho que teve com a sua última mulher, a rainha-viúva Noor. No entanto, o fato dele ser visto como jovem e inexperiente demais para se tornar um monarca acabou fazendo com que Hussein nomeasse sucessor ao trono o seu filho Abdullah, fruto do seu segundo casamento com Muna, de quem se divorciou. A mudança foi vista como um golpe para a rainha Noor, que esperava ver seu filho mais velho se tornar o líder da Jordânia. Quando subiu ao trono em 1999, o rei Abdullah II deu ao seu meio-irmão mais novo Hamzah o título de príncipe herdeiro, mas acabou revogando essa nomeação em 2004, indicando a existência de uma rixa antiga entre os dois.

Deixe um comentario