Merendeira que salvou alunos do massacre de Suzano é 1ª profissional da educação vacinada em SP

Silmara Cristina Silva de Moraes foi vacinada dentro da escola na Grande São Paulo neste sábado, 10; Estado pretende vacinar 350 mil profissionais a partir dos 47

A merendeira Silmara Cristina Silva de Moraes, de 51 anos, que ficou conhecida nacionalmente após ajudar crianças a se salvarem do massacre de Suzano, na Grande São Paulo, em março de 2019, foi a primeira profissional da área da educação no Estado a se imunizar contra a Covid-19 neste sábado, 10. Simara foi vacinada com a primeira dose da CoronaVac dentro da própria escola, que foi reformada após o crime. O governador de São Paulo, João Doria, e o secretário de Educação, Rossieli Soares – que na época do massacre era ministro de Educação do governo de Michel Temer – participaram da cerimônia simbólica que deu início à imunização dos profissionais acima de 47 anos e reabriu a escola após mudanças estruturais. A expectativa é de que cerca de 350 mil pessoas nessa faixa etária sejam vacinadas.

Os profissionais da saúde com idade suficiente para receber a imunização devem realizar um pré-cadastro e passar por um processo de validação feito pela direção da escola na qual trabalham para ter direito à vacina. Só aqueles munidos de documento de identidade do QR code virtual ou impresso recebido após confirmação da inscrição poderão ser vacinados. Na próxima quarta-feira, 14, dois dias após o Estado avançar para fase vermelha, as escolas poderão voltar a receber alunos presencialmente com horários escalonados e respeitando o máximo de 30% de ocupação das salas de aula. A presença não será obrigatória e a Educação priorizará filhos de profissionais essenciais, crianças com dificuldade de aprendizado ou com problemas de saúde mental para esse retorno.

Deixe um comentario