OMS recomenda que ivermectina não seja usada em pacientes com Covid-19

A agência afirma que há poucas evidências de que o medicamento seja capaz de reduzir a mortalidade e de diminuir as chances dos infectados terem que ser internados ou receber ventilação mecânica

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou nesta quarta-feira, 31, um parecer negativo sobre o uso da ivermectina no tratamento da Covid-19. A agência recomendou que o medicamento não seja usado em pessoas infectadas pelo novo coronavírus, independente da gravidade e duração dos sintomas, porque foram encontradas poucas evidências de que ele seja benéfico em termos de redução de mortalidade, risco de ventilação mecânica e necessidade de internação hospitalar. Há uma semana, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) também desaconselhou o uso da ivermectina para prevenção e tratamento da Covid-19, alertando que “os dados disponíveis não apoiam” sua utilização generalizada fora dos testes clínicos controlados.

Dessa forma, as duas entidades concordaram que não existem fundamentos científicos nos boatos de que o medicamento de baixo custo, utilizado contra parasitas principalmente na América Latina, possa evitar que a doença causada pelo novo coronavírus se torne mais grave quando administrado nos primeiro dias após o início dos sintomas. Até agora, os únicos medicamentos que a OMS endossou para pacientes hospitalizados com sintomas graves de Covid-19 são os corticosteroides, em particular a dexametasona, que também é considerada um medicamento de baixo custo.

Deixe um comentario