Postos questionam parecer do Cade que apontou menor concentração de mercado no setor

Diretor da AbriLivre, Rodrigo Zingales, afirmou que a distribuição de combustível no Brasil está na mão de três empresas

A Associação Brasileira de Revendedores de Combustíveis Independentes e Livres questiona parecer do Cade sobre a queda da concentração do setor nos últimos cinco anos. O diretor da AbriLivre, Rodrigo Zingales, ressalta que a alta nos preços ajuda a explicar o cenário. “A Petrobras diminuiu o preço dela na refinaria. A distribuidora pagou um preço menor pela gasolina, só que ao invés de repassar para o posto e ele, por sua vez, conseguir repassar a diminuição de preço aos consumidores, ela abocanhou parte da redução de preço.”

O mercado está na mão de três empresas. “Hoje, no Brasil, estima-se, segundo dados da ANP, que tenham 150 distribuidoras autorizadas a operar no Brasil. O que acontece é que a grande fatia desse mercado está na mão de três distribuidoras apenas: BR, Raízen e Ipiranga.” A AbriLivre questiona os pareceres da Agência Nacional do Petróleo que embasariam a avaliação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pela menor concentração do mercado nacional de combustíveis.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos

Deixe um comentario