São Paulo distribui 407 mil ‘kits intubação’ doados por empresas

Governo paulista afirma que a quantidade liberada pelo Ministério da Saúde é suficiente para apenas três dias; medicamentos foram concedidos à pasta, que os repassou aos Estados

Cidades do Estado de São Paulo começaram a receber medicamentos do chamado “kit intubação”, que foram enviados pelo Ministério da Saúde após doação de empresas privadas. O governo do Estado afirma ter recebido 407 mil kits, que serão destinados ao atendimento de pacientes com Covid-19 em estado grave. Segundo o ministério, um grupo de empresas doou 2,3 milhões de kits para a pasta, que ficou encarregada de repassá-los aos 26 Estados e o Distrito Federal. Entretanto, o governo de São Paulo reclama que a quantidade liberada equivale a, no máximo, três dias de consumo diante da atual demanda nos hospitais paulistas.

Em nota, o governo do Estado esclareceu que só recebeu 552.507 medicamentos por meio de requisições administrativas do ministério, em março de 2021, após seis meses sem nenhuma entrega a São Paulo. As autoridades informaram ainda que seguem cobrando providências da pasta e informando diariamente a situação do Estado e a necessidade de medicamentos do SUS de São Paulo. O secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn, afirmou na sexta-feira, 16, que o sistema de saúde paulista ainda dispõe de medicamentos do chamado “kit intubação” nos hospitais da rede estadual. “Esses quantitativos estão, de forma diária, sendo manejados e distribuídos para todos os municípios no sentido de também acolhê-los”, afirmou Gorinchteyn.

Os indicadores de saúde apresentados nesta sexta-feira, 16, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, mostram uma queda na taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de enfermaria. A taxa de ocupação de leitos de UTI no Estado nesta sexta é de 85,3%, e na Grande São Paulo de 83,3%. São 11.756 pessoas internadas em UTI e 13.307 em leitos de enfermaria em São Paulo. O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo, Paulo Menezes, informou que a redução diária de internação é de 1,4%, o que representa menos 14o pacientes por dia.

Deixe um comentario