Sem citar Lula, Bolsonaro compara Brasil a ‘filme de cowboy’ no qual alguns torcem pelo bandido

Presidente falou sobre ex-presidente durante transmissão semanal nas redes sociais, pouco após o Supremo formar maioria para anular condenações contra o petista

Ao lado do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o presidente Jair Bolsonaro abriu sua live semanal nesta quinta-feira, 15, poucas horas após o Supremo Tribunal Federal (STF) formar maioria a favor da anulação das condenações do petista Lula na Lava Jato, comparando o Brasil a um filme de cowboy no qual um vilão com torcida tenta atravessar fronteiras para se livrar dos próprios crimes. “O cara assaltava algo na Califórnia e começava em uma cavalgada a correr em direção ao México. Uma vez transpondo a fronteira para o México, estava tudo resolvido porque não podia mais ser preso e alguns torciam para o bandido, outros torciam para a patrulha, mas aqui no Brasil parece que a mesma coisa acontece hoje em dia”, afirmou, sem citar o ex-presidente.

“O Brasil vem numa situação bastante complicada há décadas. Alguns querem que eu resolva, limpe a casa, de uma hora para a outra. Não quero jamais me intitular como o faxineiro do Brasil, o salvador da pátria, mas acredito que estou fazendo a coisa certa”, pontuou. Bolsonaro afirmou que não está fazendo campanha para 2022, mas disse que, com o resultado desta quarta-feira no STF, encara o ex-presidente como futuro candidato e fez uma lembrança aos eleitores: “Se o Lula voltar, tudo bem, agora veja qual o tipo de gente que ele vai trazer para dentro da presidência. Inclusive, se Lula for eleito, em março de 2023, dois meses depois que ele assumir a presidência, ele vai escolher mais dois ministros para o Supremo Tribunal Federal”, afirmou. Bolsonaro ainda questionou quem teria melhores chances contra o petista no segundo turno, mas voltou a dizer que não está oficializando sua candidatura à presidência. “É só você fazer o raciocínio que vocês vão entender qual é o futuro de cada um de vocês”, disse.

Ele pediu que Guimarães atualizasse os números de lucro da Caixa durante os oito anos de governo Lula, que segundo ele foi de R$ 20,5 bilhões, e no primeiro ano de governo dele, que foi de R$ 17,2 bilhões. “A Caixa nunca trabalhou tanto pelo brasileiro. Nunca teve tanto resultado”, afirmou Guimarães. O presidente da Caixa também afirmou que a permissão de saques do auxílio emergencial, que a princípio estava prevista para o mês de maio, foi antecipada em cerca de duas semanas e passa a valer para alguns brasileiros a partir do dia 30 de abril. A mudança deve ser publicada nesta sexta. Bolsonaro reconheceu que o dinheiro do auxílio é pouco e pediu que os brasileiros solicitassem mais dinheiro aos governadores, apontados por ele como culpados pela crise. “Quem tirou o seu emprego foi o seu governador. Fechando tudo, obrigando a ficar em casa, destruindo milhões de empregos no Brasil”, disse.

Deixe um comentario