STF libera acesso de Calheiros a mensagens hackeadas da Lava Jato

Segundo a decisão de Ricardo Lewandowski, serão liberadas ao parlamentar somente diálogos em que ele é mencionado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, permitiu que a defesa do senador Renan Calheiros tenha acesso às mensagens trocadas entre o ex-juiz Sergio Moro e procuradores do Ministério Público, como Deltan Dallagnol. As conversas são investigadas no âmbito da Operação Spoofing e o processo está em segredo de Justiça. Segundo a decisão de Lewandowski, serão liberadas ao parlamentar somente diálogos em que ele é mencionado. O senador foi um dos políticos citados em acordos de delação, com investigados afirmando que ele recebeu propina dos desvios da Petrobras. Em dezembro de 2019, o STF recebeu denúncia que o acusa de ter cometido os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Em fevereiro deste ano, Calheiros apresentou um projeto de lei que prevê anistia para os seis hackers alvos da operação. Na justificativa, o parlamentar argumenta que os acusados contribuíram para o “aperfeiçoamento das instituições brasileiras”, pois as conversas são “confissões inequívocas de perseguição política” e de “desprezo pelos direitos fundamentais das pessoas acusadas”. Depois do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Renan Calheiros é o segundo alvo da Lava Jato a ter acesso às interlocuções. Outros dois investigados, porém, tiveram o pedido negado: o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

*Com informações da repórter Letícia Santini 

Deixe um comentario