Tarcísio Gomes de Freitas nega que nova lei de trânsito beneficie infratores

Segundo o ministro da Infraestrutura, a proposta é eliminar condutas erradas e privilegiar os bons condutores

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, rebateu críticas de que parte das mudanças no Código de Trânsito Brasileiro favorecem os infratores. Especialistas condenam o aumento de pontos para suspensão do direito de dirigir. “A gente simplifica para um outro, endurece por outro. A gente privilegia o bom condutor e penaliza mais o mau condutor. A gente tenta eliminar aqueles comportamentos, aquelas condutas que acabam representando um risco maior para todos os condutores.”

Antes, o condutor que acumulasse 20 pontos em um período de 12 meses teria a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa. Agora são 40 pontos, mas o motorista não pode cometer duas infrações gravíssimas no mesmo período. Tarcísio Gomes de Freitas destacou ainda que a validade da habilitação passou de cinco para dez anos para condutores com menos de 50 anos. O ministro pontuou que a conversão de penas de reclusão em penas alternativas, em caso de condutor condenado por homicídio sob o efeito de álcool ou drogas, não será mais possível, endurecendo a lei para quem causa mortes no trânsito.

Ainda sobre trânsito, o Departamento de Estradas de Rodagem de São Paulo autorizou o parcelamento do pagamento de multas em 12 vezes no cartão de crédito, explica o secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano. “Aquelas que estão escritas na dívida ativa não poderão se beneficiar dessa facilidade. É só entrar no site, tem lá o parcelamento, clica pelo parcelamento e vai lá resolver essa questão de pagar em até 12 vezes.”

Deixe um comentario